Nenê se destaca em goleada e vira “dor de cabeça boa” no São Paulo

304

GazetaEsportiva.net

José Victor Ligero

Escolhido para substituir Hernanes, Nenê foi decisivo na acachapante vitória do São Paulo por 4 a 1 sobre o Mirassol, no último sábado, no Pacaembu, pela estreia no Campeonato Paulista. O meia teve participação em todos os gols e ainda contribuiu com duas assistências.

Foi do camisa 10 os passes para os gols de Anderson Martins e de Reinaldo. Ele também foi o responsável pelo início das jogadas que culminaram nos tentos de Reinaldo e Hudson. Sua boa atuação arrancou elogios do técnico André Jardine após a partida.

O treinador admitiu que o meia está criando dúvidas em sua cabeça. O desafio é colocar Nenê e Hernanes juntos sem fazer o time perder velocidade e poder de marcação. Seja como for, o cenário é bastante diferente se comparado ao do final do ano passado, quando o jogador de 37 anos causou mal estar por sua insatisfação com o banco de reservas.

“É uma boa oportunidade para elogiar o Nenê. É o tipo de dor de cabeça boa que o treinador tem. O São Paulo montou um elenco forte, são dois jogadores de alto nível. Cabe a mim encontrar um sistema tático que faça o São Paulo competitivo e encaixar os melhores jogadores”, afirmou Jardine.

Confira este e outros vídeos em videos.gazetaesportiva.com

A ideia, segundo o treinador, é armar o meio-campo de acordo com o adversário e a situação na partida, desde que o sistema tático (4-3-3) não mude e a equipe não se desorganize em campo.

“Não é tão fácil, mas é este o trabalho que vou ter a partir de agora: pensar jogo a jogo e premiar quem está melhor no momento. Ao mesmo tempo manter um nível de organização, identidade, sem trocar o sistema tático de um jogo para o outros. É uma dor de cabeça boa”, acrescentou.

A versatilidade de Hernanes, aliás, faz André Jardine cogitar a possibilidade de utilizá-los juntos no time titular. Para isso, o Profeta teria que voltar a atuar como segundo volante, sua função original, mas que abandonou nos últimos anos para jogar mais adiantado, como armador.

“O Hernanes jogou algumas vezes como segundo volante, mas ele prefere jogar como um terceiro homem de meio-campo, um pouco próximo do ataque, tem poder de finalização acima da média, com as duas pernas e cabeceio. Mas ele também está disposto a ajudar. Vai caber a mim encontrar um sistema que o privilegie. Acho que em alguns momentos pode jogar mais por trás, tem qualidade para isso. Vai depender do jogo”, concluiu.

A tendência, contudo, é que Hernanes assuma a titularidade na segunda rodada do Campeonato Paulista, quando estará apto para jogar. O mistério, porém será desvendado apenas momentos antes do duelo com o Novorizontino, na próxima quinta-feira, às 21 horas (de Brasília), fora de casa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

três × dois =