Memórias Tricolor – Laranja Podre

829

Nesta semana o “genial” Rodrigo Caio (#sqn) concedeu entrevista esta semana em que disparou contra o ex-treinador Diego Aguirre e falou de perda de paixão pelo são Paulo, mais uma bola fora de Rodrigo Caio…

Imagem relacionada

As declarações de Rodrigo Caio suaram como bomba para muitos torcedores, criticado o ex-treinador, falando que ama o São Paulo, porém que perdeu um pouco dessa paixão e ainda afirmou: “É normal quando você joga no seu time…” normal? Não é o aconteceu outros jogadores que ao vestir o Sagrado Manto Tricolor se tornaram além de heróis apaixonados Torcedores.

Rodrigo Caio lembrou o ex-jogador Tricolor Gustavo Nery, então em a Coluna Memórias Tricolor desta semana traz está lembrança.

Gustavo Nery de Sá da Silva nasceu em 22 de julho de 1977 na cidade de Nova Friburgo no Estado do Rio de Janeiro, foi revelado pelo Santos em 1994, e permaneceu com vinculo ao Vila até 1999, tendo jogado em 96 pelo Ceará e em 97 pelo Coritiba, retornou ao Santos e jogou em 1998 e 99 e em 2000 foi para o Guarani, onde chamou atenção dos dirigentes Tricolor que logo o contrataram. Chegou ao São Paulo em 2000 e permaneceu até 2004, quando o clube alemão Werder Bremen comprou seu passe.

Em passagem pelo São Paulo conquistou o Torneio Rio-São Paulo de 2001, e o Supercampeonato Paulista de 2002. Convocado diversas vezes para a Seleção Brasileira entre 2001 e 2006, fez parte do elenco que conquistou a Copa América de 2004, o que chamou a atenção do clube alemão.

Mas o episódio que mais o marcou no São Paulo foi quando em 2001, o treinador Nelsinho Baptista afastou do elenco Gustavo Nery, o zagueiro Rogério Pinheiro e o meio campista Carlos Miguel, o treinador alegou deficiência técnica, o que Gustavo Nery via imprensa discordou, e questionado Nelsinho chamou o lateral esquerdo de “laranja podre”, deixando a todos a impressão que ele não fazia bem ao elenco Tricolor e colocava os jogadores contra o técnico.

Sua passagem pela Alemanha foi marcada de muitas contusões, o que o impossibilitou de jogar, tendo apenas 3 partidas Werder Bremen, e retornou ao Brasil para jogar por empréstimo no Corinthians em 2005, quando logo em sua apresentação saudou o novo clube chamando de Futebol Clube, e óbvio confusão armada, mas que logo a torcida perdoou.

Com boas atuações foi contratado em definitivo e conquistou o questionável título brasileiro de 2005, e foi reconhecido pela CBF como o melhor lateral esquerdo do país, Em 2006 não fez bons jogos e ganhou a fama de “chinelinho”, e assim não foi convocado para a Copa do Mundo de 2006.

Em 2007 se transferiu para o Real Zaragoza da Espanha, mas logo voltou para o Corinthians onde jogou junto à equipe que caiu para a série B, e óbvio mais confusões com seu treinador no Corinthians Nelsinho Baptista.

Em 2008 assinou com o Fluminense e logo péssimas atuações deixaram a torcida irritada, e logo se transferiu para o Internacional e na apresentação trocou o nome do time Colorado chamando a equipe de Grêmio. Mais uma vez péssimas atuações e então foi para o Santo André e depois jogou pelo São Bernardo onde encerrou a carreira em 2012.

Gustavo Nery ficou marcado no futebol por 2 adjetivos “Laranja Podre” e “chinelinho” em alusão a ser ruim de elenco e indisposto para treinos e jogos.

Rodrigo Caio, feche a boca e abra o olho, e se possível volte a jogar bom futebol.

Gustavo Flemming, 40 anos de amor ao SPFC, é empresário no segmento de pesquisa de mercado e consultoria em marketing.

Contato: [email protected]

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.