Além das 4 linhas – Vender ou vencer?

834

Faz tempo que só escuto “vender” no clube, mas eu gostaria de escutar “vencer” nos corredores deste clube maravilhoso que virou um mercado. A notícia da semana não é o clássico ou a libertadores de 2020, a notícia é que o clube tem déficit de R$ 80 milhões no ano e precisa vender. Que má administração tem o clube!!!

O quadro “negro” foi pintado já no início do ano, quando preferiram um torneio na Flórida a uma boa pré- temporada. Depois vieram todas as trocas de treinadores. A troca de treinadores trouxe a troca de algumas peças para o elenco. A troca de treinadores também trouxe troca no método de preparação da equipe, incluindo a parte física. Como o clube tem esta administração desastrosa, outros profissionais do clube também não são bem escolhidos, causando toda esta coisa louca que assistimos atônitos.

Como estamos atônitos assistindo ao teatro das desgraças do tricolor paulista, acabamos não indo ao estádio e muito menos assinando o PPV ou comprando camisas. O teatro tem cenas de desclassificações ridículas há anos e isso afasta o torcedor que afasta o dinheiro dos cofres do clube. Qual a consequência disso? Além de não vencer nada, perde os principais talentos por necessidade financeira. Eu fico na dúvida se querem entrar em “crise” para poder vender jogadores ou entram em crise por falta de capacidade administrativa. O resultado é o mesmo para todos eles, menos para o clube e para a torcida. Eu imagino que a bola da vez seja o Antony, mas pode ser Liziero ou Igor Gomes. Quem sabe vendem os 3 e o clube fica rico por uma semana?

O SPFC tem potencial para ser uma organização daquelas de servir de exemplo para o mundo todo. Em primeiro lugar, os anos vitoriosos foram trazendo  uma enorme torcida, fator mais do que importante para uma empresa prosperar, pois todas precisam do seu mercado consumidor. Os anos vitoriosos também trouxeram um enorme patrimônio físico, com CT na barra funda para o profissional, um CT para a base e um estádio. Um corpo diretivo também de primeiro mundo faria isso tudo decolar maravilhosamente e a aeronave teria voos de categoria inigualável, como de fato obteve nos anos em que foi bem administrado.

Eu hoje sonho com o “fim do SPFC” como o conhecemos e o nascimento de um novo clube de futebol profissional comprado por algum fundo internacional tornando tudo mais fácil para a calmaria chegar e ficar. Isso aconteceu com grandes clubes da Europa com sucesso. O nosso clube está nas mãos dos políticos e por mais que possa voltar a ser o que já foi, vai sempre correr o risco de más administrações vindas de gente que quer o bem delas mesmas.  É mais ou menos a questão das estatais brasileiras, onde quem é contra está mamando ou não sabe o que fala.

O SPFC se perdeu e está nas mãos do mesmo grupo político faz tempo, sempre com maus resultados e muito dinheiro perdido. Nesta semana o Muricy perdeu a paciência e falou um monte de verdades das quais destaco a frase a seguir: “Duas horas pra falar do São Paulo porque é meu clube, c…. E não tenho nenhum interesse. Eu tenho interesse como vocês. A gente ama o clube…A gente ama esse lugar, entendeu? Então, eu acho que estamos na hora de passar isso um pouco pra eles. Os dirigentes nossos têm que sentir um pouco isso. Que isso aqui é muito grande, isso é gigante, p…. Isso aqui você não tem ideia, os caras não têm ideia do que é isso aqui. Acho que eles não têm ideia do que é isso aqui. Chegou a hora que já deu, chega. Chega de ser zoado, c…. Chega de os caras encherem o saco nas escolas das crianças. Chega de as crianças nossas não quererem mais ser são-paulinas”.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes