Além das 4 linhas – Time titular

476

Venho falando ultimamente sobre o tamanho da mudança que teve o time titular durante este ano. A capacidade do Diniz em mudar o time e a forma dele jogar é uma coisa realmente elogiável que fez o treinador subir de patamar. O time jogava de uma maneira no início do paulista e com jogadores diferentes do que joga agora. Saíram  do clube Anderson, Pato, Antony  e o eterno contundido Everton. Chegou o Luciano.

Logo que o time voltou da pandemia Diniz sacou Juanfran, Arboleda e Bruno da linha da defesa. O time estava tomando muitos gols e a mudança se fez necessária. No meio também saiu Tchê Tchê para a entrada do Luan para proteger melhor a zaga. No ataque mudou tudo: Antony, Pablo ou Pato e Vitor Bueno saíram do time. Aos poucos os titulares da linha da defesa foram voltando, sendo que Arboleda pode também estar recuperando em definitivo seu lugar. O meio antes era formado por três jogadores e agora tem o Sara, um cara que deu mobilidade ao time. Gostei do meio mais povoado, para mim um jogo de futebol se vence no meio de campo. Na frente todo mundo saiu e Brenner vem formando boa dupla com Luciano, o único novato do elenco.

Interessante notar que com estas entradas e saídas o elenco se fortaleceu em experiência e hoje os suplentes Igor Vinícius, Diego Costa, Leo, Tchê Tchê, Hernanes, Vitor Bueno e Pablo já foram titulares durante este ano. Ninguém imaginava isso! Sinto muito a falta de um ponta veloz no elenco e este cara poderia muito bem ser o Jão Rojas, que pena. Eu imagino que se o cara não se recuperar até o fim do BR o clube irá procurar alguém para a temporada de 2021. Rojas colocaria o tempero que falta a este elenco. Toda retranca pede um ponta para furá-la. Alguém disse por estes dias que o SPFC tem dificuldade em furar defesas muito fechadas. Pois bem, esta é a função do ponta que o elenco ainda não tem.

Publicidade

Um ponto importante, ainda não inteiramente resolvido, é o sistema defensivo, que vem melhorando e hoje é a defesa menos vazada deste brasileiro. Isso é um ótimo sinal. Ainda não estou satisfeito, tenho insegurança, mas a evolução é clara e os números não mentem. Quem sabe a entrada do Arboleda, a manutenção do Luan e com Juanfran na direita a defesa finalmente volte a um bom nível? Quando o ano começou e Diniz escalava o time com 3 no meio e os volantes eram Tchê Tchê e Daniel eu escrevia aqui neste espaço que faltava marcação, mesmo a lateral direita estando com um cara especialista em marcação que ajudava muito no meio da zaga. Gosto muito do futebol do Juanfran, um cara seguro que deixa Daniel a vontade na direita, sem tanta necessidade de voltar a todo ataque adversário.

Por último e não menos importante elogio o Reinaldo, talvez o atleta mais injustiçado deste elenco tricolor. Como ouço crítica ao nosso lateral esquerdo!  O fanatismo cega, eu sei, e cega tanto que Daniel Alves foi duramente criticado ao voltar da pandemia e da contusão. A questão não é criticar, é a forma que são feitas as críticas. Muitas delas fazem parecer que o jogador não sabe mais jogar, que faz corpo mole e que está no Brasil apenas para pegar uma graninha a mais. Incrível!  Às vezes precisamos analisar muitos fatores que podem afetar o desempenho. Muitas vezes existem razões para baixo rendimento que não a má vontade. Neste elenco não vejo jogador chinelinho ou tranqueira, daqueles que ficam no DM a maior parte do tempo.

É meus amigos, aos poucos o time evoluiu e agora mantém o nível, a forma física é boa, as contusões são poucas e o ambiente parece saudável. Assim dá gosto torcer! E vou repetir: O trabalho de Raí, Diniz e todos do departamento de futebol merecem elogios.

#ficadiniz

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

9 − um =