Além das 4 linhas – Nem trio, nem quarteto

277

O SPFC fez duas grandes contratações nesta última janela, mas isso não quer dizer que os dois jogadores diferenciados estarão em campo ao mesmo tempo. Neste momento, James, Lucas, Calleri e Luciano disputam duas vagas em minha opinião, principalmente contra adversários fortes em jogos eliminatórios.

Vimos tentativas por parte do Dorival de escalar um trio sem o James. Em minha opinião o time perdeu força e consistência física e de marcação. Afinal, quem vai fechar os lados, Lucas ou Luciano? Nenhum dos dois pode e sabe fazer isso. Já Rato e Nestor fazem os lados muito bem, como fizeram contra o Flamengo no último domingo.

Hoje o futebol é muito tático e físico, não adianta pensar só na técnica, que também é muito importante, claro. Dorival tem no meio e no ataque o melhor SPFC com Pablo e Alisson como volantes. Rato e Nestor fazendo meio e ataque pelos lados. Lucas fazendo ataque pelo meio e lados. Calleri na área. Os dois laterais ajudam muito na frente, principalmente Caio, como no lance do gol no domingo. Mas reparem, quem passou pela linha de fundo, recebeu a bola do Caio e cruzou? O Nestor. O time que deu certo até aqui é este, que é muito físico e tático, mas com alguma técnica também.

Publicidade

James e Luciano serão jogadores de segundo tempo por enquanto, assim como Gabriel e Michel. O David pode também ser opção. Somos obrigados a pensar que com a possibilidade de 5 trocas, temos o time do primeiro tempo e o time do segundo. O Flamengo optou por um time com o trio na frente, o que aconteceu? Perdeu o meio de campo e o jogo. Pelas mesmas razões que eu escrevi sobre nosso time eles se deram mal, ou seja, nenhum do trio ofensivo ajudava na recomposição, armação e marcação. Futebol físico e tático aliado à técnica.

O que fazer para domingo quando o adversário terá mais opções de meio e ataque? Eu torço para Dorival manter o time com pegada. Se Lucas tivesse 25 anos talvez pudesse fazer o lado e acompanhar o lateral. Se James tivesse em forma poderia fazer o meio ajudando na marcação forte que será obrigatória. Se Luciano soubesse marcar sem ficar tomando cartão também poderia jogar desde o início. Mas um bom treinador não pode jogar com o “se”, ele tem que armar o time dentro de suas convicções e respeitar as características de cada jogador. Dorival arma um time com equilíbrio entre os setores, gosto disso. Como ele mesmo diz, faz um arroz com feijão mantendo os setores com suas obrigações.

Além do mais, Dorival sabe das limitações técnicas deste elenco. Aliás, foi por isso que ele soube dentro do elenco que tem em mãos formar um time. Tem treinador que tem elenco forte e não sabe montar um time forte. Elenco forte não é sinônimo de vitória, que o diga o PSG de Messi, Neymar e M´Bappe.

Dorival conseguiu com este elenco um time que dá liga, que briga e chegou até aqui, onde o SPFC poucas vezes conseguiu na sua história. O SPFC também está sendo muito ajudado por uma torcida que apoia e não cobra de forma irracional, pois sabe dos limites do elenco.

A hora é de aproveitar o que há de bom, coisa construída por todos com muito trabalho. Saber aproveitar uma semana de treinos para o time titular. Aproveitar a semana em São Paulo sem viagem. Jogar com time reserva na quarta. Jogar com o time que mais deu certo no domingo, este time que joga com raça, obediência física e tática. Este é o SPFC que temos! Vai ser suficiente para ficar com a taça? Só saberemos após o jogo.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes