A Palavra da Corte – Só metade dos Conselheiros atua!

255

Salve, salve, Nação Tricolor!!!

Como já comuniquei aqui semanas atrás, sou Candidato ao Conselho Deliberativo do SPFC.

De forma resumida, o SPFC tem 240 Conselheiros, sendo 160 vitalícios e 80 eleitos. Nessa eleição (provavelmente em 21/Novembro/2020), os sócios poderão eleger 100 conselheiros, aumentando o Conselho Deliberativo para 260 membros (160 vitalícios + 100 eleitos pelos sócios).

Quero deixar clara e notória minha admiração pelo Egrégio Conselho Deliberativo do SPFC, a ponto de eu querer fazer parte. Cresci ouvindo falar dos “Cardeais do SPFC”, sempre com a idéia de um grupo de Cardeais mesmo se reunindo com roupas elegantes e de forma educada todos deliberando sobre o Mais Querido, como uma corte de Lordes – é sério isso! rs. Também deixo claro que boa parte dos Conselheiros merecem estar ali, honram sua função e se doam pelo São Paulo Futebol Clube.

Colégio de Cardeais fica mais internacional sob papa Francisco | Notícias  internacionais e análises | DW | 14.01.2014

Isso posto, quero chamar a sua atenção: dos 240 Conselheiros atuais, a média de presença em 2019 foi de aproximadamente 115 Conselheiros nas reuniões!!! Bem menos da metade dos membros do Conselho comparece nas reuniões regulares mensais. E não deve ser muito diferente se analisarmos 2018, 2017, etc…

Obs: esses números não são oficiais, já que não há em nenhum lugar publicado a lista de presença das reuniões, temas discutidos e no caso das votações sobre temas importantes, como votou cada conselheiro. A média de presença aproximada acima foi baseada em minha coleta de informações com Conselheiros – dos dois espectros políticos.

Então vem a pergunta: por que querem tanto ser conselheiros para depois de eleitos não fazerem o mínimo que um Conselheiro tem que fazer que é ir nas reuniões? Estariam em busca de Status? Poder? Influência? Alguma vantagem financeira? Brindes? Ingressos? Cargos? Estacionamento? Carteirinhas? Inflar o ego?

Em uma votação em Setembro/2020 para aprovação do escandaloso balanço de 2019, EM VOTAÇÃO ONLINE, de 222 conselheiros aptos a votar (já que na sequência foram escolhidos mais 10 vitalícios e mais 10 deverão ser escolhidos em breve) , apenas 180 votaram!!!! Tivemos 42 abstenções em uma votação POR EMAIL!!! Era só o cara abrir o celular e mandar um email!!!

Já quando o tema é eleição presidencial ou temas polêmicos – onde os Conselheiros que votam e cada voto é essencial para um lado ou outro – aí tem-se cuidadoras, enfermeiras e até UTIs móveis na rua Laudo Natel com senhores sendo carregados para dentro do Salão Nobre para votar. Um constrangimento pelo qual ninguém deveria passar. Sério. São idosos que muito provavelmente já deram a vida pelo Mais Querido, e merecem ser respeitados, e não constrangidos a votar.

Por isso, algumas propostas que levarei ao Conselho sobre esse tema se vocês me ajudarem a chegar lá:

1 – DIMINUIÇÃO GRADATIVA DO NÚMERO DE VITALÍCIOS: Como diz meu amigo Edgard Neiva, também candidato ao Conselho, “precisamos de mais VITALIDADE e menos VITALICIEDADE”. O alto número de conselheiros vitalícios faz com que as votações já comecem praticamente definidas. O Conselheiro Vitalício não tem mais o risco de passar pelo crivo do associado em uma nova eleição, e boa parte acaba relaxando e não prestando mais o serviço voluntário ao clube do qual é esperado. Não acho que deva acabar os vitalícios. Mas no médio prazo, a proporção de Vitalícios x Eleitos deveria ser de no máximo 30% Vitalícios e 70% Eleitos. E vou propor isso, mesmo sabendo que é praticamente uma utopia mudar no curto prazo.

2 – CONSELHEIRO BENEMÉRITO – O conselheiro vitalício que atingir determinada idade, não perderia seu cargo e benefícios ofertados pelo clube, mas passaria a uma categoria de Benemérito (ou outro nome que se queira dar). Esse conselheiro poderia continuar frequentando as reuniões, fazer uso da palavra, mas não teria mais direito a voto nas assembleias e reuniões do Conselho. Assim se homenageia o Conselheiro e não o constrange mais a ter que ir votar para lado A ou B ter mais chance de ganhar.

3 – REGRAS RÍGIDAS: todos tem sua vida e eventualmente podem estar impossibilitados de ir a uma reunião ou outra, isso é normal e totalmente aceitável. Mas o rigor com relação à presença nas reuniões precisa aumentar. Já existem regras no estatuto com relação a presença, ausência e justificativa de faltas. E precisam ser cumpridas, aplicadas! Inclusive para os Conselheiros Vitalícios!

Encerro lembrando que há muitos Conselheiros que prestam e prestaram um serviço brilhante em prol do São Paulo Futebol Clube. Mas o CD precisa de gente nova – não necessariamente de idade até porque eu por exemplo não sou mais um adolescente – mas com uma nova mentalidade, uma nova postura, um novo jeito de conduzir o clube, ao mesmo tempo que resgatando a grandeza, dignidade e importância do São Paulo Futebol Clube, e junto a ele, de seu Egrégio Conselho Deliberativo.

É isso.

Salve o Tricolor Paulista, meu amor hoje e sempre!

Artur Couto é engenheiro,  sócio-torcedor e sócio do SPFC, e é administrador da SPNet. Pré-candidato a uma vaga no Conselho Deliberativo do SPFC.
Escreve nesse espaço todas (de vez em quando) as quartas-feiras.

Siga no Twitter @arturcouto

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a opinião da SPNet ou sua equipe de colaboradores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

15 − 12 =