Além das 4 linhas – Não é fácil

423

Como velho torcedor do SPFC que sou, não é fácil admitir que o clube não disputa em igualdade de condições com Flamengo, Palmeiras e Atlético mineiro. Saber que vai jogar contra os caras e a chance de vitória é pequena é complicado, mas é a realidade. A nossa imprensa faz um carnaval danado, mas acho melhor escrever o que penso do que algo para agradar ao leitor.

Basta olhar para o treinador, banco de reservas e o time de cada um destes clubes. Tudo bem que é um jogo, mas os melhores vencem, não adianta. Botar na nossa cabeça e coração que o SPFC não disputa o título de um campeonato, disputa a melhor colocação possível, não é para qualquer um. O futebol mudou muito, virou um negócio, e o SPFC mudou muito, deixou de ser bem administrado. A soma disso não é boa para nós tricolores.

Nós não podemos achar que de uma hora para outra Diego, Leo e Pablo Maia viraram craques e nosso sistema defensivo é uma muralha. Que Wellington já é o melhor lateral esquerdo do nosso futebol e que Rafinha voltou a ter 28 anos. Volto ao assunto sistema defensivo lembrando da frase do próprio RC que Felipe Luis lhe falou: “Você precisa melhorar seus times na defesa”. Será que é isso o que acontece com o SPFC quando vai jogar fora de casa, quando o time contrário ataca mais?  Talvez o RC tenha que rever suas convicções e escalações. Aliás, RC também é um treinador novato como muito bem disse o ex-jogador Tostão, um dos caras que mais gosto de ler. Ele vai aprender? Muito provavelmente vai, pois é inteligente, trabalhador e gosta de vencer, palavras do craque de 70.

Publicidade

No assunto treinador, sem me desfazer do RC, de quem gosto, os 3 grandes times brasileiros são treinados por estrangeiros, que inegavelmente são mais qualificados. Na verdade, se RC fosse demitido, qual treinador brasileiro deveria ser contratado? Eu não gosto de nenhum. Eu tenho falado uma frase que resume bem o momento tricolor: O clube tem o que o cofre vazio permite. Queremos ter um treinador melhor? Queremos. Podemos? Não! Queremos ter um time melhor? Queremos. Podemos? Não! Pés no chão e cabeça no lugar rapaziada.

Finalizando minha reflexão sobre a semana tricolor, tenho pensado que o plano é mais colocar a molecada para jogar para os negociar do que para melhorar o desempenho do time. O choro do Muricy após a conquista do paulista 21 não sai da minha cabeça, e as declarações dele da época também não saem da minha cabeça. O cara só falava da situação dramática das contas do clube. Como agora temos a possibilidade de público no Morumbi, a camisa está cheia de novos patrocinadores, a dívida com os jogadores está quase quitada, o CT sendo atualizado e o elenco melhor do que era em anos passados, tenho certeza de que aos poucos tudo vai entrar no jeito tricolor. Tenhamos fé e paciência.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé

Carlito Sampaio Góes